Desde o primeiro episódio de Krypton, Brainiac está presente na série. Aliás, ele é a grande ameaça que salva o personagem Seg de não ter um único objetivo sólido na trama (sim, há toda a questão da sua família, mas até agora isso foi explorado de forma ainda não tão aprofundada). Mas a série que vem explorando o perigo que o invasor representa desde o começo surpreende nesse episódio já deixando o personagem mais presente do que nunca e mostrando que o grande vilão da série realmente será ele. Neste terceiro episódio já há inclusive a amostra de um dos principais conceitos que constituem o personagem, a invasão psicológica. Mesmo assim, ele não é o único foco da trama, que entrelaça os dois núcleos explorados anteriormente por meio dos resultados de suas ações passadas. Então, vamos lá para mais uma review de Krypton saber se a série está mesmo melhorando!

Como dito no parágrafo anterior este episódio conecta os dois núcleos que estavam divididos no episódio anterior, Seg e Lyta. Em ambos os lados a tensão é crescente, seja por um estar enfrentando algo que pretende dominar o seu planeta, seja pelo outro estar tendo que lidar com o peso da liderança. Inclusive, esta amarração de núcleos ocorre de forma até interessante, o que dá um ponto a mais para o roteiro da série que em seu primeiro episódio contou com algumas casualidades desnecessárias para desenvolver sua história. Isso porque apesar de Seg encontrar Lyta em um situação que não esperava há um motivo para os dois estarem juntos. E enquanto a urgência no núcleo da casa El vem de uma ameaça muito maior que ele, no lado da casa Zod vem do fato de ter que se tomar decisões que vão decidir o resultado de uma operação importante para o governo, assim ambos tem seus interesses e problemas. Seg inclusive se mostra até mais inteligente neste episódio.

Fora os dois que guiam a série, o roteiro ainda se aproveita de seus personagens secundários para tomarem as decisões idiotas que farão com que a história que querem tome forma. E apesar de que no caso esta decisão seja até realmente necessária para que se crie uma tensão entre o alto governo e os rankless (pessoas sem rank, subjugados e expostos à condições de miséria), a personagem que a toma é mal desenvolvida e simplesmente desprovida de preparo. Desprezando isso, parece que a série felizmente quer trabalhar também os aspectos sociais de Krypton, o que não havia sido ressaltado com tanta clareza anteriormente. Assim, pode ser que além de o povo do planeta ter que lidar com Brainiac terá que lidar também com a desigualdade e injustiça que sustenta o governo comandado pela temida Voz de Rao.

[rwp_box id=”0″]