What If chega em seu terceiro episódio e dessa vez o nosso foco é direcionado para o Doutor Estranho. Nessa variação da linha temporal os acontecimentos que são alterados ocorrem no momento onde Stephen sofre o acidente de carro, e ao invés dele perder o movimento das mãos, Christine, sua amiga morre no lugar.

A partir disso a motivação de Stephen muda e ao invés de buscar a magia para curar as suas mãos, ele busca a qualquer custo reviver Christine. Durante o episódio vemos o decorrer da história e somos avisados pelo Vigia de que essa história não terá um final feliz.

Quando Stephen tem contato com a o olho de Agamoto ele enfim encontra a chave para voltar ao tempo e reverter a morte de sua companheira, contudo seu plano falha. Com uma sequência dramática muito bem conduzida, vemos que Stephen falha milhares de vezes tentando alterar o passado, onde Christine sempre morre. A Anciã então retorna para uma participação e conta a verdade para Stephen, de que existem pontos na linha temporal que são permanentes e não podem ser alterados.

Contudo nesse momento percebemos algo que é evidente desde o início do episódio e talvez até no início do Doutor Estranho no MCU. O personagem possui em seu cerne uma arrogância perante suas capacidades, sempre buscando fazer algo sozinho ou somente para provar seu valor, sendo algo que talvez ocorra em Homem-Aranha: Sem Volta ao Lar. Stephen foge da Anciã e parte em busca da Biblioteca Perdida de Cagliostro para encontrar poder suficiente para alterar o passado.

O episódio então se aprofunda no lado místico do personagem, se remetendo direto aos quadrinhos e as histórias mais emblemáticas do personagem. Vemos Stephen usando dos conhecimentos da Biblioteca para absorver e criaturas mágicas e se tornar forte o suficiente para alterar até mesmo um ponto irreversível no tempo. Enquanto isso a Anciã explica o seu plano para um outro Doutor Estranho dizendo que ela conseguiu dividir o personagem em duas versões diferentes, mas devido a isso aquela realidade está ruindo.

Os dois Doutores se encontram e partem para um combate que usa da criatividade ao usar diversos tipos de magia e ainda tendo a liberdade de ser uma animação. A versão maligna vence e ressuscita Christine, mas ela nem o reconhece mais tendo absorvido diferentes criaturas e vendo a realidade ruir em sua volta. No final temos a participação do Vigia conversando com o Doutor Estranho e afirmando que no final suas decisões o levaram a isso e que ele não deve interferir.

Com um final infeliz para o personagem, temos nesse episódio de What If uma construção feita com maestria e trazendo o melhor do personagem, além é claro da vantagem de se arriscar em uma linha narrativa desconhecida. Vale ressaltar que mais uma vez temos a possível menção a Shuma-Gorath, uma criatura mística que pode aparecer no futuro do MCU.