É de conhecimento de grande parte do público que durante as gravações do último Velozes e Furiosos, rolou um grande desentendimento entre The Rock e Vin Diesel. Aparentemente, Vin Diesel se considerava como o Co-Diretor do filme, e única alma da franquia, visto que ele estava desde o começo. The Rock, porém, não gostava dos rumos que Diesel tomava na direção, visto que o ex-astro da WWE foi um dos principais responsáveis por revitalizar e renovar a franquia.

Fato é, Velozes e Furiosos não estava indo tão bem na bilheteria, e quando The Rock e outros integrantes integraram o elenco, o filme tomou outros rumos, chegando a passar de 1 bilhão e meio de bilheteria.Entretanto, Vin Diesel sempre foi o principal rosto da franquia. A briga, então, distanciou parte do família Velozes e Furiosos.

Diante disto, não seria mais possível Vin Diesel e The Rock dividirem as telas. A Universal Studios, partiu então na produção de um filme derivado da franquia, estabelecendo um verdadeiro raxa na corrida por maior bilheteria. Hobbs and Shaw, acabou de estrear apenas com Jason Statham e The Rock. Segundo a Universal, ano que vem teremos Velozes e Furiosos 9, apenas com a “família” de Vin Diesel. Enquanto os atores competem para ver quem atrai mais o público, nós aproveitamos os lançamentos da franquia.

Hobbs and Shaw parte da premissa estabelecida em outros filmes da franquia Velozes e Furiosos: muita pancadaria, manobras com automóveis e pitacos de comédias. Desta vez, porém, sendo co-produzido pelo próprio The Rock. O Ator e o diretor David Leitch(Deadpool 2), tentaram reproduzir tudo o que já havia dado certo nos filmes anteriores, em escalas nunca antes visto. Junto a isso, e o carisma e timing dos atores principais, o filme não poderia dar errado, certo ? Errado.

Em partes, Hobbs and Shaw, traz as grandes cenas de ação grotescas e exageradas que se espera ver. Sua trilha sonora, apesar de possuir bons momentos, falha ao se comparar com os últimos filmes de Velozes e Furiosos. Contudo, é interessante ver alguns recursos utilizados pelo diretor, para trazer humor ao filme ao mostrar a rivalidade entre os protagonistas. Rivalidade na qual é bem desenvolvida, e cativa o público durante o longa.

Diante disto, podemos dizer que o filme cumpre parte do prometido. Repete a dose de Velozes e Furiosos, repete as exageradas e constantes cenas de ação, com suas doses de humor. Porém, falha em alguns tributos principalmente relacionada a direção e roteiro. Podemos dizer que filmes desta franquia, nunca se prezaram tanto pelo roteiro, porém, neste caso, chega a atrapalhar alguns aspectos do filme. A direção de David, apesar de interessante em alguns frames deixa a desejar em outros, pela sua falta de experiência. O Filme porém, abre diversas novas possibilidades para esta nova franquia do derivado.

Com a introdução de uma nova organização, a Eteon. E, até mesmo, possíveis novos integrantes desta franquia. Sendo 2 atores renomados totalmente inesperados. Por fim, apesar das falhas ele deixa com um gosto de quero mais, não só por te entreter em boa parte do filme, mas também para ver a dinâmica destes novos atores que deverão integrar a equipe. Principalmente visto que a já conhecida dinâmica entre Jason e The Rock se repete, além da introdução de Vanessa Kirby, que traz um novo elemento a franquia. Idris Elba, apesar de ter um papel pouco desenvolvido, mais uma vez se destaca em sua atuação.

Considerações finais: Hobbs and Shaw, não utiliza todo seu potencial, porém diverte. O fôlego da franquia parece ainda não ter acabado, principalmente após a adição da Eteon.