Uma das séries que consagrou o gênero e fez ser comparado aos filmes blockbusters chega ao fim. E por mais que esse final não seja algo que desejamos, devemos lembrar que além disso Game of Thrones nos entregou grandes momentos. E nesses momentos vimos seu legado ser passado adiante, com os grandes investimentos em séries que estão por vir como a do Senhor dos Anéis, Star Wars e muito mais.

A temporada final se encerrou com seis episódios, e esse pode ser a primeira falha. Talvez diminuir os episódios tenha sido uma decisão da HBO para aumentar o orçamento dos episódios. Entretanto caso a temporada possuísse mais dois episódios, poderíamos estar diluindo as informações aos poucos. Desde a temporada passada as coisas estão sendo resolvidas de maneira muito rápido e sem um ínicio, meio e fim.

Os episódios e a produção entretanto estão de parabéns. Por mais que todos tenham reclamado do episódio três, a direção e fotografia dele estavam com uma boa qualidade. A fotografia da maioria dos episódios e direção das cenas realmente surpreende, passando momentos de perigo, alegria e conflito. Nesse quesito a mega produção da HBO acerta, mas erra em outros quesitos.

O enredo é o principal erro dessa temporada, onde vemos que eles esquecem de momentos e pontas passadas, para justificar um fim “surpreendente” para os fãs. Mas a surpresa vem de uma forma que te deixa mais triste do que feliz, sem muitas explicações e sem trazer um peso final. Personagens como Sansa e Arya tiveram seus papéis bem estabelecidos, e outros como Jorah e Theon tiveram seus momentos.

Daenerys e Jon Snow mudaram no decorrer da temporada, masa de uma maneira tão rápida e “fácil” que não sentimos o peso de cada decisão. E além disso o episódio final nos mostra parecer que a decisão final não foi certa e nem conclusiva para a trama. Alguns personagens tiveram seus finais bem determinados,e outros não.

Essa temporada se resume em um grande potencial gasto em lutas gigantescas e uma boa fotografia, sem emoção no enredo ou sequer um final com impacto e coesão. Devemos lembrar dos momentos de Game of Thrones mas esse final deixa um gosto amargo na boca, ou melhor, nos olhos.