Leonardo DiCaprio é testemunha em processo de fraude envolvendo o governo da Malásia

O ator precisou dar satisfações à justiça americana sobre sua relação com financista suspeito de fraude

De acordo com o Washington Post, Leonardo DiCaprio testemunhou secretamente perante um grande júri em Washington, DC, como parte de uma investigação federal sobre um fundo de investimento do governo da Malásia.

O caso, que envolve alguns dos mais altos membros do governo da Malásia e alguns dos principais investidores dos EUA, é centrado no financista Low Taek Jho. Low supostamente roubou e lavou bilhões de dólares do fundo de investimento, depois financiou um lobby para acabar com a investigação federal.

O Washington Post relata que DiCaprio não é alvo da investigação. Os relatórios indicam que o ator é considerado uma testemunha que pode fornecer uma percepção mais aprofundada sobre Low, o que pode ajudar no andamento da investigação de suas atividades.

Documentos judiciais alegaram que a relação entre Low e DiCaprio envolvia permissões para que o ator apostasse em sua conta no cassino veneziano em Las Vegas; o financista também presenteou o ator com obras de arte e ajudou-o a obter financiamento para o filme O Lobo de Wall Street.

Em 2016, procuradores tentaram apreender o dinheiro do filme, que, supostamente, foi em parte financiado com fundos roubados e encaminhados para uma produtora co-fundada pelo enteado do ex-primeiro-ministro da Malásia. DiCaprio citou Low no discurso de agradecimento, quando ganhou um Globo de Ouro por seu papel no filme.

Os procuradores mais tarde apreenderam uma pintura de Picasso pertencente a DiCaprio. As autoridades disseram que ela foi comprada com US$ 3,2 milhões em fundos roubados e dada a DiCaprio por um associado de Low.

Low foi acusado no tribunal federal de Nova York no ano passado por roubo e lavagem de dinheiro. Os procuradores também analisaram casos relacionados envolvendo ex-banqueiros do Goldman Sachs que podem ter participado, bem como um funcionário do Departamento de Justiça que participou do lobby para ajudar Low a acabar com a investigação.

DiCaprio é um dos “figurões” identificados até o momento como testemunha no caso, mas ele não é o único. O Washington Post relata que o rapper Prakazrel “Pras” Michel, do Fugees, esteve envolvido na criação de contas para financiar o lobby de Low nas investigações. Michel também teria contratado o proprietário de uma firma de investimento para interceder no governo Trump. O rapper negou as acusações.

Por meio de um porta-voz, DiCaprio se recusou a comentar sobre o caso, mas admitiu ter cooperado com as investigações no passado.

Fonte: Deadline

Categorias
DestaqueNotícias

RELACIONADOS