Crítica: Os Novos Mutantes | Um filme com falhas básicas e que sofreu com as críticas e refilmagens

Ele foi lançado! Após mais de 2 anos de intermináveis adiamentos, Os Novos Mutantes(The New Mutants) foi finalmente lançado. Para quem não acompanhou a história, o filme que estava...

Ele foi lançado! Após mais de 2 anos de intermináveis adiamentos, Os Novos Mutantes(The New Mutants) foi finalmente lançado. Para quem não acompanhou a história, o filme que estava previsto para meados de 2018 prometia um terror psicológico intenso, mesmo se passando no mundo dos filmes do X-Men.

Algo que se percebe no primeiro trailer lançado lá em 2017, conforme demonstrado a seguir. O grande problema disso, foi que a Fox, estúdio que produzia o filme, estava no processo de ser comprada pela Disney. E todos sabemos, Disney e Terror não combinam em uma mesma frase.

Mas, mais do que isso, o filme vinha sofrendo com diversas críticas a respeito de seu material e de sua qualidade, sem contar a polêmica mudança de etnia do Mancha Solar, como se o filme já não tivesse conturbações o suficiente. Rumores indicam até mesmo que a Disney cogitou não lançar o filme com medo de flopar, e até por isso lançou o filme logo após a reabertura dos cinemas para ter uma “justificativa” para a baixa bilheteria.

Fica claro após o apresentado, de que a ideia do filme era ser um terror nas telonas, porém foi também para os produtores do mesmo. Rumores afirmam que o filme passou por diversas refilmagens após a aquisição da Fox pela Disney, com o intuito de melhorar o filme e evitar maiores polêmicas. O que se acaba estabelecendo, é um filme mediano para bom porém sem identidade.

Devido as constantes refilmagens, o filme não sabe o que deseja ser e não estabelece um ritmo em momento algum, algo próximo ao que aconteceu com Liga da Justiça(porém esse tem muitos poucos momentos positivos). Podemos notar a mudança de tom do filme, ao comparar o primeiro trailer, com o segundo, conforme a seguir:

Sim, o filme continuou um longa de terror, porém não tão intenso conforme o primeiro trailer. Sem mais, no filme temos uma espécie de hospital para mutantes, aparentemente uma subdivisão comandada pelo Professor Xavier dos X-Men. O local é dirigido pela médica Cecilia Reyes (Alice Braga), que trata outros pacientes: a russa e irmã do Colossus Illyana Rasputin/Magia (Anya Taylor-Joy), o brasileiro Roberto da Costa/Mancha Solar (Henry Zaga), a escocesa Rahne Sinclair/Lupina (Maisie Williams) e o caipira estadunidense Sam Guthrie/Míssil (Charlie Heaton).

A chegada de Danielle Moonstar/Miragem (Blu Hunt) começa a trazer os pesadelos de cada um para a realidade e, aos poucos, eles precisam superar as diferenças para encarar seus medos e vencer não somente o confinamento como a ameaça do Urso Místico. Algo muito parecido com as histórias originais dos Novos Mutantes.

A história segue a partir desta linha, com momentos de terror e sustos intensos, algo totalmente diferente dos outros filmes de heróis. E sim, ele se passa no mesmo universo, quem acompanhou X-Men Apocalypse e Logan, verá breve referências e entenderá melhor alguns plot do filme. No demais, a relação entre os personagens é muito bem construída e cativante, sendo um dos pontos altos do filme.

Porém, a falta de um ritmo do filme, acaba por prejudicar a construção da narrativa principal. Por fim, se vê um filme que foi feito no maior esforço possível para se tornar um filme aceito pelo público, mesmo após constantes refilmagens, ajustes e o baixo orçamento(inicial).

Os Novos Mutantes tinha tudo para ser um dos piores filmes do universo X-Men, porém a proposta inicial e a química entre os personagens acaba por tornar o filme algo único e cumprindo bem parte da promessa. Com cenas aterrorizantes e psicológicas, mesmo que em menor escala do que o previsto, tornam o material interessante.

O sabor que fica é de um alívio pelo filme ter qualidade, porém de tristeza por essa ser a despedida dos X-Men pela Fox(visto que caso o filme fosse lançado junto com a franquia, teria um sentido e motivação bem maior) e por não seguir assumidamente o tom proposto no primeiro trailer, algo que tornaria um dos filmes mais psicológicos de todos os filmes de herói já feito.

É um filme com falhas básicas e que notadamente sofreu com as críticas e refilmagens, mas vale a pena conferir como despedida dos X-Men e para tomar uns bons sustos com seres assustadores.

NOTA FINAL: 7,0/10




Mais um nerd afim de revolucionar o mundo geek.

Relacionados