Review: Silt | Uma jornada através de um sombrio mundo subaquático

A exploração subaquática é uma ferramenta utilizada por alguns jogos para explorar o desconhecido, ou até mesmo criar o desafio de você estar em um ambiente estranho. O fato disso é que quando estamos no fundo do mar, não sabemos ao certo o que nos espera, desde criaturas misteriosas, até mesmo possível mistérios nunca descobertos. Subnautica é um bom exemplo onde exploramos o oceano e suas criaturas, mas aqui temos algo muito mais sombrio.

Em Silt o nosso protagonista acorda acorrentado no fundo do mar, sem muitos detalhes do que é a real história. A partir disso precisamos sobreviver a diversas ameaças no fundo do mar, e também teremos que explorar os mistérios dessa região sombrio em um fundo do mar com claras inspirações a Lovecraft.

E um dos pontos em destaque que temos é a mecânica de controlar outras criaturas dentro do mar, o que permite que a gente passe pelos mais diversos desafios, e também traz uma diversidade maior para os puzzles. Fora isso temos a constante ameaça de outras criaturas que podem nos matar a qualquer momento, o que aumenta não somente o desafio, mas a tensão dos ambientes misteriosos.

Por mais que os “quebra-cabeças” sejam simples, a imersão do ambiente junto com a trilha sonora de Nick Dymond são capazes de lhe instigar sobre o que está na próxima área. Com referências a Lovecraft, e cenários aterrorizantes que utilizam muito bem da luz e sombras de cada cenário. Os ambientes que parecem ser uma mistura de cenários orgânicos, com estruturas e até mesmo uma certa tecnologia despertam curiosidade que acaba sendo preenchida pelo jogador, onde ele irá desvendar esses mistérios.

A experiência do jogo é curta, entretanto é satisfatória, ainda mais quando você o experimenta como parte de uma rotina onde você poderá voltar para ele e continuar desvendando os seus mistérios. Toda vez que você morre, acaba retornando ao início da área onde está, tendo que repetir todas as tarefas anteriores, o que pode se tornar monótono, mas dependerá da escolha de cada um sobre como irá aproveitar o jogo.

Tendo referência a Limbo, o jogo realmente explora a falta de cor do seu mundo, entretanto aqui eu senti mais elementos do jogo Gris, onde exploramos ambientes fantásticos e nós como jogadores devemos desvendar esse mundo. Sendo uma experiência cativante através do sombrio e obscuro mundo subaquático, Silt é sem sombra de dúvidas um jogo que cativa sobre seus cenários e ambientes com puzzles que complementam essa jornada.

Cheudo Augusto

Cheudo Augusto

Nerd, Otaku, Gamer, Zueiro e tudo que há de bom! O criador do projeto Nerd Zoom, tentando levar os Nerds aonde nenhum fã jamais foi...

Continue conosco!