Crítica: Obi-Wan Kenobi | Entre erros e acertos, a emoção por Star Wars se sobressai

Obi-Wan Kenobi chegou ao fim, trazendo uma expansão da história do personagem no universo de Star Wars. Um projeto que foi adiado diversas vezes, e antes estava sendo apresentado como um filme, agora chega no Disney+ como uma série comandada por Jon Favreau e Dave Filoni que agora comandam a maior parte da franquia.

Na série acompanhamos o personagem Obi-Wan 10 anos após os eventos de A Vingança dos Sith. Agora o herói está lidando com a queda da Ordem Jedi no seu isolamento onde busca proteger o jovem Luke. As coisas mudam quando a pequena Princesa Leia é sequestrada pela Inquisidora Reva, e agora Obi-Wan terá que ir nessa missão de resgate e enfrentar seu passado personificado como Darth Vader.

A Narrativa de heróis quebrados

Um dos pontos mais interessantes que foi esperado ser abordado, é em como o personagem estaria após tudo que aconteceu no episódio 3. E de fato esse é um dos grandes elementos da série, onde vemos um Obi-Wan quebrado e sem esperança, e junto disso vemos o reflexo de como toda a sociedade ficou, refém das forças do Império. O desenvolvimento dele é sem sombra de dúvidas um dos destaques da série, nos mostrando como foi a trajetória dele até Uma Nova Esperança.

Sendo uma minissérie, o espaço de desenvolvimento é curto para caber em seis episódios, contudo acaba sendo bem explorado para contextualizar o cenário atual e logo em seguida explorar o personagem principal e os demais secundários. A falha talvez esteja na inconsistência de cada episódio, onde o ritmo não se mantém e alguns momentos parecem até mesmo desnecessários para a trama.

Os Inquisidores

Dessa vez exploramos com mais detalhes os Inquisidores, que já haviam sido apresentados nas animações, mas aqui enfim vemos os personagens em live-action. Sendo uma boa adição para a trama, e também um plot secundário interessante de ser explorado. A personagem Reva é um contraponto interessante entre Obi-Wan e Darth Vader, apresentando algo entre o meio deles e de suas falhas. Sua jornada mostra em como o conflito dos personagens deixou sequelas nos demais, e que suas falhas criaram pessoas como ela.

A atriz Moses Ingram entrega uma ótima atuação e uma personagem palpável com suas motivações. Infelizmente parte da comunidade de Star Wars ainda cria preceitos para criticar a própria atriz fazendo ataques racistas, e que deve ser comentado aqui porque isso ainda mostra a marca de uma parte da comunidade infantil e que busca somente uma justificativa para esboçar o seu ódio.

Obi-Wan e Darth Vader

Ewan McGregor retorna com força total para o seu papel de “Bião”, sendo um grande destaque por sua atuação e também os trejeitos que tornaram o personagem tão famoso. A paixão pelo ator é demonstrada em cada momento de sua atuação, deixando uma marca em toda a série. E Hayden Christensen não fica pra trás, entregando um Anakin e Vader que criam um contraste com o vilão que conhecemos, dessa vez muito mais visceral e cruel.

O vilão aqui apresenta um outro lado que muitos fãs da franquia não conheciam, somente através do conteúdo expandido de quadrinhos e livros, mas agora conhecemos o aprendiz de Darth Sidious, que ainda está subindo as escadas para se tornar um mestre do lado negro. A reconstrução da voz de James Earl Jones de forma digital traz um peso ainda maior para o vilão com um ótimo tom de nostalgia.

A Direção tomada pela série

Muito foi questionado sobre a direção de Deborah Chow para Obi-Wan, contudo fica visível que ela buscou readaptar os estilos já estabelecidos pelas prequels e também as últimas séries de Star Wars. As cenas de ação são bem elaboradas, fora os diversos paralelos que podem ser criados com outros momentos da franquia.

Sua fotografia também impressiona por mais singela que seja, mas vemos cada cenário recebendo diferentes cores e identidades únicas, desde uma cidade cyberpunk, até o castelo do Vader e a base dos Inquisidores (fora que ainda bem que saíram de Tatooine).

No final o roteiro acaba tomando muitas saídas fáceis, desde suas soluções até momentos menores onde essas falhas se destacam, enfraquecem momentos importantes da trama. Contudo do outro lado temos momentos que se destacam por não tomar saídas fáceis e arriscar ao apresentar outros aspectos dos personagens e também da narrativa.

 

Obi-Wan Kenobi foi uma série que entregou algo que muitos não esperavam, e me surpreendeu por tomar decisões arriscadas e abordar temas diferentes, não ficando na mesmice de outras séries (como o saudoso Boba). Vemos um outro aspecto do Darth Vader, a evolução de Obi-Wan, a jovem Leia  e outros aspectos do universo de Star Wars.

Por mais que a série possua falhas aparentes, a emoção desse universo e sua entrega nessa história ainda se destaca, mostrando como nos apegamos a todo esse grande universo.

Cheudo Augusto

Cheudo Augusto

Nerd, Otaku, Gamer, Zueiro e tudo que há de bom! O criador do projeto Nerd Zoom, tentando levar os Nerds aonde nenhum fã jamais foi...

Continue conosco!