SPOILERS A SEGUIR

A série Loki chegou em seu último episódio, e nele temos o grande pontapé para a próxima etapa da Marvel nos cinemas. No final da série vemos Sylvie matando uma das variantes do vilão Kang, e a partir disso a linha do tempo é totalmente ramificada para diferentes realidades. Loki que acaba voltando para a TVA, no final do episódio ele vê uma grande estátua que antes havia a imagem dos Guardiões do Tempo, agora tem Kang como grande líder da organização. Até chegar aqui no grande colapso do Multiverso Marvel, Kevin Feige pavimentou muito bem a história e fez com que o que havíamos visto até agora, seria apenas o início.

É bem provável que Kevin Feige já estivesse planejando o conceito do Multiverso há muito tempo, contudo o primeiro passo foi dado quando a Disney comprou a Fox. O personagem Kang, que é um Conquistador e viajante do tempo tem suas origens nas HQs do Quarteto Fantástico. E a Fox possuía os direitos de cinema dos personagens do Quarteto Fantástico e X-Men. Após a compra do estúdio, o rumo do MCU começaria a tomar outra forma.

Após isso chegamos aos grandes eventos, Guerra Infinita e Ultimato. A história do Titã louco chegaria ao fim, com o combate pelas joias do infinito sendo finalizada. Em Vingadores: Ultimato temos o conceito de viagem no tempo sendo estabelecido, e que ao viajar no tempo você não altera o seu futuro mas na verdade cria uma ramificação onde as coisas ocorrem de uma forma diferente. Durante o diálogo entre a Anciã e oProfessor Hulk vemos a primeira imagem da linha temporal que se assemelha muito ao que foi apresentado na série Loki.

Após o final dos eventos envolvendo o personagem Thanos, muitos fãs se questionaram sobre o que viria a seguir. Alguns teorizaram sobre o personagem Galactus receber uma nova adaptação, e outros pensaram que as joias do infinito poderiam voltar de alguma forma e ainda afetarem o MCU. E agora Kevin Feige também teria espaço para desenvolver suas histórias de uma forma diferente, nas séries da Disney+.

WandaVision continuou trazendo indícios do Multiverso, mas como minissérie e sendo uma história muito mais pessoal, não haveria exageros sobre o tema. Na série vemos provavelmente a última grande interação com as joias do infinito que despertam os poderes da Wanda, e esse poder é intitulado como Nexus, o mesmo nome dado para os eventos que ramificam a linha do tempo em Loki. No final Wanda perde tudo daquela realidade que ela criou, mas com o Darkhold em mãos, um livro com segredos sobre o ocultismo, a personagem aparece em uma cabana afastada de tudo e ao que parece buscando seus filhos em outras realidades, ou uma forma de trazer eles de volta.

E Loki chega para lidar diretamente com as questões envolvendo a linha do tempo, apresentado a corporação TVA que é responsável por proteger ela. No primeiro episódio já somos apresentados ao fator de que as joias do infinito são meros objetos perante aos dilemas do multiverso, deixando para trás os dilemas em volta delas. Durante a história somos apresentados a diversos conceitos, como as Variantes que são versões diferentes do mesmo personagem, e também ao grande vilão Kang (ou um deles).

O personagem que é intitulado como Aquele que Permanece, conta a história de um homem que descobriu um meio de viajar pelo multiverso, onde ele conheceu outras versões suas que também fizeram o mesmo. Por um tempo todos viveram em harmonia dividindo seu conhecimento, mas alguns buscavam somente o poder e então ocorreu uma Guerra pelo Multiverso onde quem sobrevivesse manteria seu universo vivo. Essa variante do Kang então cria a TVA para manter somente uma linha temporal em funcionamento. Sulvie opta por matar ele e assim a linha do tempo é totalmente ramificada, não estando mais segura e livre para as versões malignas do Kang dominarem.

O ponto alto de Kevin Feige está em entender que o universo Marvel possui muito mais do que simplesmente as joias do infinito. Ele então estabelece o personagem Kang, uma possível Guerra do Multiverso e faz com que a variante Kang levante o seguinte questionamento “Eu não sei o que acontece agora”. O vilão terá muito destaque em Homem-Formiga: Quantumania, mas os efeitos do Multiverso já irão aparecer em Doutor Estranho 2, Homem-Aranha 3 e em outras produções do estúdio.

Kevin Feige utilizou desses 10 anos para nos apresentar os conceitos em volta do Universo Marvel, mas agora ele irá nos levar por todas as possibilidades do Multiverso Marvel, e tendo estabelecido essas ideias, agora ele tem liberdade para introduzir elementos dos quadrinhos como o Conselho de Reeds, Mutantes e muito mais.