Produções nacionais e longas exibidos em festivais pelo mundo estão entre os lançamentos da distribuidora no primeiro semestre

A Pandora Filmes anuncia agora os longas da distribuidora que estreiam nos cinemas brasileiros no primeiro semestre de 2020. Ainda em janeiro, dia 23, estreia o documentário ADONIRAN – MEU NOME É JOÃO RUBINATO, de Pedro Serrano. O longa é uma imersão na vida e obra de Adoniran Barbosa (1910-1982), o maior nome do samba paulista, autor de sucessos como “Trem das Onze” e “Saudosa Maloca”.

Exibido na 42ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, DE QUEM É O SUTIÃ? estreia dia 20 de fevereiro. A comédia alemã, dirigida por Veit Helder, acompanha o maquinista Nurlan em sua última viagem antes de se aposentar. No caminho, o trem esbarra em um varal e derruba um sutiã azul. Temendo dias solitários, Nurlan embarca em uma jornada: encontrar a dona da peça íntima. Assim, ele conhece várias mulheres e pede para que elas experimentem o sutiã —para a fúria de uma porção de maridos.

Produzido pela brasileira RT Features, de Rodrigo Teixeira, TARDE PARA MORRER JOVEM, de Dominga Sotomayor, rendeu à diretora chilena o prêmio de Melhor Direção no Festival de Locarno 2018, sendo a primeira mulher a recebê-lo. Na trama, com a volta da democracia ao Chile nos anos 1990, um grupo de famílias que vive em uma comunidade isolada aos pés dos Andes busca construir um novo mundo distante dos excessos urbanos, enquanto acompanha o amadurecimento das crianças e adolescentes num novo momento do país. A estreia está prevista para 27 de fevereiro.

FOTOGRAFAÇÃO, de Lauro Escorel, foi exibido no Festival É Tudo Verdade de 2019, e estreia no circuito no início de março. O filme passeia pela história da fotografia brasileira. O impacto dos avanços tecnológicos é analisado através da perspectiva daqueles que vivem os prazeres e obstáculos da profissão. Em uma sociedade cada vez mais conectada, onde as informações surgem por uma demanda quantitativa, a digitalização do ofício do fotógrafo torna-se praticamente uma ameaça.

Com estreia apontada para o dia 12 de março está o longa TEL AVIV EM CHAMAS. A comédia foi exibida no 75º Festival Internacional de Cinema de Veneza, na seção Orizzonti, onde o protagonista Kais Nashef ganhou o prêmio de Melhor Ator, além de ter sido o filme escolhido para representar Luxemburgo na corrida para Oscar 2020. O filme acompanha Salam (Kais Nashif), um jovem palestino ambicioso e sonhador que se torna um escritor de novela de maneira ocasional, após um encontro com um soldado israelense que passa a aconselhá-lo sobre os roteiros do programa. Sua carreira criativa começa a crescer cada vez mais, até que os patrocinadores palestinos da novela exigem que o final da história acabe de maneira inesperada.

Exibido em diversos festivais internacionais, O PAI (The Father), de Kristina Grozeva e Petar Valchanov, estreia dia 19 de março. Um drama familiar sobre a dificuldade de nos conectarmos com aqueles que estão mais próximos. Quando no funeral de sua esposa, uma mulher diz ter recebido uma ligação da falecida, um homem procura a ajuda de um famoso médium para entrar em contato com ela, mesmo a contragosto de seu filho.

Depois de “Um Homem, Uma Mulher” e “Um Homem, Uma Mulher: 20 Anos Depois”, o diretor e roteirista Claude Lelouch traz novamente Jean-Louis Trintignant e Anouk Aimée nos papéis de Anne e Jean-Louis em OS MELHORES ANOS DE UMA VIDA (The best years of a life) que estreia nos cinemas brasileiros no dia 9 de abril. Exibido na seleção oficial do Festival de Cannes, o longa revive os anos de relacionamento do casal, que envelheceu lado-a-lado, mantendo o amor e a admiração recíprocos desde a juventude.

NEW LIFE S.A., de André Carvalheira, que fez sua estreia no 51º Festival de Brasília de Cinema Brasileiro, retrata como a especulação imobiliária potencializa as desigualdades sociais. Um jovem arquiteto bem-sucedido acredita que pode mudar o mundo e as relações entre os indivíduos e a sociedade por meio de sua profissão. Mas, no comando da construção de um novo condomínio de luxo é ajudado por seu sogro que garante regalias ao genro às escuras: o empreendimento é construído graças à compra de políticos e juízes, à desocupação de habitantes pobres da região e à exploração da mão de obra barata. Estreia prevista para final de abril.

MONOS, de Alejandro Landes, filme escolhido pela Colômbia para tentar uma vaga no Oscar, estreia dia 7 de maio. Em meio a armas e apelidos de guerra, soldados adolescentes, que fazem parte de um grupo rebelde chamado “A Organização”, ocupam uma ruína abandonada no topo de uma montanha, onde eles treinam e mantêm uma engenheira americana refém. Mas depois de um ataque, eles são obrigados a abandonar o local e a “brincadeira” acaba para o jovem bando.

PREVISTOS PARA O 2º SEMESTRE DE 2020:

Novo longa de Marcos Prado, MACABRO, é inspirado na história real de Ibrahim e Henrique de Oliveira, os “Irmãos Necrófilos”, que nos anos 90 foram acusados de brutais assassinatos de oito mulheres, um homem e uma criança, na Serra dos Órgãos, em Nova Friburgo, região serrana do Rio de Janeiro. O filme participou da seleção oficial da 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e do Festival do Rio.

Coprodução da brasileira Gullane, com Itália, França e Alemanha, O TRAIDOR é dirigido por Marco Bellocchio e traz no elenco Maria Fernanda Cândido e Pierfrancesco Favino. O filme, que fez sua estreia mundial no Festival de Cannes, é baseado na história real de Tommaso Buscetta e conta a trajetória do mafioso, o primeiro do alto escalão a se transformar em informante no caso do Maxi-Processo contra a Cosa Nostra.

Primeiro longa-metragem de ficção do diretor pernambucano Marcelo Brennand, o filme CURRAL mostra os bastidores de uma campanha eleitoral para vereador no Agreste de Pernambuco e conta com grande elenco: Tomaz Aquino, Rodrigo Garcia e Carla Salle.