Uma nova Wolverine, Thor virando mulher, Capitão América Negro, será que o motivo das baixas vendas da editora é realmente o conservacionismo?

Por: Kauê Medeiros Gravel

Personagens presentes na atual fase da editora: ALL-NEW, ALL-DIFFERENT.
Arte de David Marquez
(Fonte: Google)
           Recentemente, houve uma reunião do alto escalão da editora Marvel com alguns dos principais lojistas de quadrinhos dos EUA e do Canadá nos escritórios da editora em Nova York, com o objetivo de criar um método de comunicação mais efetivo para atrair os leitores mais antigos para as lojas, e debater como os acionistas estão influenciando os rumos criativos da editora, e os porquês das revistas da Marvel estarem cada vez mais decaindo em vendas e críticas, sendo que desde de a crise dos anos 90 aonde a Marvel Comics quase faliu, esta foi a primeira vez que uma reunião desta magnitude foi convocada.
Segundo o site de cultura pop e tecnologia ICv2, muitas das informações sobre os rumos que serão tomados pela editora, não puderam ser divulgados, mas não houve restrições para as pautas de discussão levadas dos lojistas para os acionistas da Marvel, sendo os principais pontos:
·         A descaracterização dos personagens clássicos e a constante aposta em personagens de legado que pertencem a minorias étnicas ou sexuais;
·         Um grande excesso de eventos grandiosos que sempre acabam em um reboot que reinicia toda a linha de revista da editora;
·         O recrutamento das equipes criativas que trabalham nas publicações carro-chefe da editora;
·         Políticas editoriais, como preços de encadernados e uma grande ausência de séries limitadas;
 
A cobertura gerou grandes debates nas mídias especializadas durante alguns dias, como o perfil conservador dos leitores de quadrinhos que não aceitam ver seus heróis clássicos sendo trocados por personagens de legado que pertencem a minoria constantemente, ainda mais com o novo evento da DC Comics que abalou todo o mundo editorial dos quadrinhos, estas variáveis fizeram a grande mídia acreditar que o público gostasse mais do visual clássico dos grandes heróis, mas ai fica a questão: Será realmente a adesão das minorias no Universo Marvel que fez com que suas vendas caíssem tanto?

Uma união um tanto inesperada, mas ambos os personagens refletem as mudanças um tanto drasticas que a Marvel tem feito em seus personagens.
Arte de Alex Ross
(Fonte: Google)

         OK, muitos dirão que é verdade, considerando os últimos eventos mundiais que apenas reforçam estas teorias, até mesmo dentro do mundo editorial com o estrondoso sucesso da rival DC Comics com seu grande evento: REBIRTH, que está recuperando a essência clássica de seus personagens, e muitos deles estão mudando etnicamente para suas versões antigas e considerada por muitos “antiquada”, entretanto, diferente da Marvel, a DC ainda continuou com seus personagens novos e antigos no mesmo universo funcionando em uma sintonia que jamais foi vista antes. 

Capa da edição que deu o pontapé inicial da fase Rebirth da DC Comics.
Arte de Geoff Jhons
Fonte: Google.


        Um exemplo, são as revistas do Lanterna Verde (Hal Jordan e a tropa dos lanternas verdes e Lanternas Verdes), aonde temos as versões clássicas dos Lanternas Verdes, mas ao mesmo tempo temos as versões novas, que não se adequam muito na categoria de personagens de legado, mas sim algo a somar ainda mais as histórias da editora, com o drama pessoal da personagem Jessica Cruz que possui ansiedade e constantemente precisa lutar contra isso não só para se tornar uma heroína, mas até mesmo para levar uma vida normal, e o Lanterna que já veio das revistas dos Novos 52: Simon Baz, que trabalha de forma eximia o preconceito encima de culturas diferentes, realmente são HQs excelentes de serem lidas e que ainda trabalham de forma bem interessante as minorias.

Lanternas Verdes #07, aonde podemos ver Jéssica Cruz e Simon Baz juntos
artista desconhecido
(Fonte: Google)

            Em contrapartida, temos dentro do Universo Marvel o estrondoso sucesso da Miss Marvel: Khamala Khan, que trabalhou de uma forma bem descontraída e teen, uma garota israelense que tenta se adequar a cultura americana e ainda acidentalmente acaba adquirindo super poderes. As revistas da Miss Marvel foram um sucesso estrondoso de vendas na época em que fora lançada e rendeu a editora uma indicação ao Prêmio Eisner. A poderosa Thor que foi recebida com grandes vaias e xingamentos por mudar de sexo um dos principais personagens da editora, acabou se mostrando como uma excelente HQ que ainda perdurou por muito tempo. 


A nova poderosa Thor que causou grandes repercussões na internet
Arte de Esad Rabic
(Fonte: Google)


Capa do encadernado que saiu ano passado pela Panini Comics no Brasil.
Arte de Jamie McKelvie
(Fonte: Google)

           Porém, apesar de tudo isto, outros personagens não tiveram a mesma sorte, como por exemplo: A Novíssima Wolverine, que ainda recebe duras críticas de fãs e outras mídias, ou do novo milionário do Universo Marvel: Homem-Aranha, que apesar de eu considerar uma grande evolução do personagem, considerando seu intelecto avançado, ele em algum momento chegaria ao ponto de construir uma empresa e eventualmente se tornar um grande magnata, porém passou por momentos vexaminosos como por exemplo a aparição de um ARANHA-MÓVEL, que venhamos e convenhamos ficou ridículo. Ou então o que falar de uma das mentes mais brilhantes do Universo Marvel se tornando o novo Hulk: Amadeus Cho, revista cuja qual dispensa qualquer comentário.


A Novíssima Wolverine, que na verdade é a X-23 vestindo o manto do herói, um exemplo claro de personagem de legado que a Marvel quis introduzir em seu universo.
Arte de David Marquez
(Fonte: Google)

Capa variante da primeira revista do THE TOTALLY AWESOME HULK, revista aonde o gênio Amadeus Cho se tornou o gigante esmeralda.
Arte de Frank Cho
(Fonte: Google)
Mas o que estes personagens tão duramente criticados tem em comum? Nenhum deles tem sequer uma história boa desde o grande evento: Secret Wars, que acarretou em grandes mudanças no Universo Marvel, todos eles tem críticas duras pois nenhum revista da editora atualmente, possui um arco que compensa ser lido, seja por mudanças absurdas como o Capitão América se tornar um agente da HYDRA, ou então por suas histórias não terem peso algum, considerando que depois de algum tempo elas não terão mais significado algum, pois logo virá um novo evento que mudara tudo e tornara estas aventuras obsoletas. Sem contar que nenhuma sequer consegue entreter, pois seu enredo é muito mal trabalhado e em muitos momentos parece que está sendo feito às pressas e de qualquer jeito, o que resulta em histórias de grande potencial se tornando verdadeiros fiascos, como por exemplo: Civil War II, que acabou se tornando um fiasco no mesmo patamar da contraditória: Age of Ultron, que coincidentemente foi produzida pelo mesmo roteirista: o excelentíssimo Brian Michael Bendis, que nos trouxe grandes HQs como: Demolidor: Revelado. O que nos faz questionar também se a Marvel está coordenando bem a equipe criativa que ela tem em mãos, pois considerando os nomes que ela possui ao seu lado, a Marvel poderia facilmente ultrapassar a DC Comics, mesmo na sua melhor fase, entretanto não é o que está acontecendo.

Capa da primeira edição de Civil War II, o principal evento de 2016 das revistas Marvel e que acabou se tornando um fracasso de critica e vendas.
Arte de David Marquez.
(Fonte: Google)
Tendo em vista todo este cenário desolador, a Marvel convocou mais um nome de peso para tentar salvar as publicações da editora, um dos mais conceituados desenhistas do universo dos quadrinhos: Alex Ross, para ser o mentor de um evento que ainda houve poucas informações vazadas, mas ganhou um lindo pôster e o nome de: Generations, que como podemos ver no pôster, deixa bem sugestivo que eles irão trabalhar no legado dos novos heróis, sem contar na ressuscitação dos personagens mortos como: Wolverine, no evento: Resurrection, o do Hulk na nova mega-saga: Secret Empire, só nos resta esperar que a Marvel acorde para estas coisas obvias e consiga se recuperar desta grande crise criativa que ela possui ultimamente e volte a ser a grande editora que conquistou tantos fãs e que trouxe até nos grandes momentos nos quadrinhos.

O poster liberado recentemente pela Marvel Comics do evento chamado: Generations.
Arte de Alex Ross
(Fonte: newsarama.com)




Qual a sua reação?

0
Incrível!
0
Gostei muito!
0
Amei!
0
Fiquei em Dúvida!
0
Simples
Cheudo Augusto
Nerd, Otaku, Gamer, Zueiro e tudo que há de bom! O criador do projeto Nerd Zoom, tentando levar os Nerds aonde nenhum fã jamais foi...