Hobbs & Shaw | Em meio ao sucesso de filmes de super-heróis, The Rock tenta dar novo caminho a Velozes e Furiosos

Novo trailer aponta outra mudança de rumo para a franquia

Há mais de uma semana, a Universal divulgou o primeiro trailer de Hobbs & Shaw, primeiro derivado da franquia Velozes e Furiosos. O longa será lançado em agosto deste ano, mas logo de cara já podemos notar que o novo filme se aventura em um território novo para a franquia, com a introdução do primeiro vilão com habilidades sobre-humanas.

Não que o absurdo e a galhofa total sejam algo novo para a franquia Velozes. Muito pelo contrário: foi justamente essa galhofa que permitiu que a franquia ganhasse mais força. Porém, depois de quatro filmes com esse estilo mais espalhafatoso, chega um momento em que é preciso apresentar novidades, e, considerando o enorme sucesso do “gênero” de filmes de super-heróis, “por que não trazer isso para Velozes e Furiosos?”, Dwayne ‘The Rock’ Johnson deve ter pensado.

Acontece que a presença do meta-humano de Idris Elba, apesar de causar uma divertida estranheza no trailer, não é algo tão novo assim para a franquia, que já possui personagens com super-poderes (quem não se lembra do fator de cura do The Rock no sétimo filme, na hilária cena do braço engessado?). Então, a introdução do super-vilão Brixton, que é apresentado já de cara como alguém declaradamente super-poderoso, é uma maneira explícita de por o derivado da franquia para pegar carona no sucesso dos filmes de super-herói.

Não que Velozes e Furiosos não tenha seu brilho próprio. O próximo filme da linha principal da série vai sair ano que vem e vai dar muito dinheiro a todos os envolvidos. Porém, depois desse trailer ficou bem evidente que os responsáveis por Hobbs & Shaw, de forma muito sábia, estão procurando por algo que dê uma luz própria ao derivado, algo que destaque o filme da série principal. Um filme de Velozes e Furiosos como longa de super-herói chama mais a atenção do consumidor do que um derivado que se venda como um filme tradicional da franquia.

Criar um apelo diferenciado para Hobbs & Shaw não só é mais atraente para vender um derivado, como também vai permitir que The Rock tenha a sua própria franquia dentro de uma franquia maior e já estabelecida. Se tudo der certo para o derivado (e provavelmente vai dar), isto significa uma participação maior nos lucros para The Rock e seus parceiros da Seven Bucks Productions, bem como um domínio criativo maior dos projetos futuros. Isso sem falar da satisfação pessoal para o astro, que vai ganhar um ponto na briga de egos entre ele, Vin Diesel e Tyrese Gibson (ai, ai…artistas).

É inacreditável que uma franquia que começou há quase 20 anos, como uma história simples sobre um policial infiltrado no mundo das corridas ilegais e do roubo de cargas, tenha virado essa galhofa total de hoje, o que acabou sendo algo muito positivo, no fim das contas.

Categorias
ArtigosDestaqueFilmes | Artigos
Sem Comentários

Deixe uma Resposta

*

*

RELACIONADOS