As demissões na DC, subsidiária da Warner Bros., incluem figuras de alto nível como John Cunningham, Eddie Scannell e Mark Chiarello, entre os que deixaram a empresa, segundo fontes familiarizadas com a situação.

Rumores sobre as mudanças na empresa, que abrigam as marcas DC, Vertigo e MAD, circulam desde a tarde da última quarta-feira, alimentados por relatos iniciais infundados, que especulavam que os editores da DC – Dan DiDio e Jim Lee – poderiam estar entre os que deixaram a empresa; esse não é o caso, com ambos ativamente continuando em suas posições atuais.

A empresa foi organizada em três áreas distintas, de acordo com os recentes relatos divulgados na última quarta-feira: Editorial, que continuará a ser supervisionada pelo editor-chefe Bob Harras; Produção e manufatura, que permanece sob a alçada de Alison Gill, vice-presidente de operações e produção; e o recém-criado Serviços de Suporte à Publicação, que irão lidar com vendas, marketing e promoção dos produtos DC e serão tratados pelo veterano da editora, Hank Kanalz, como vice-presidente de estratégia de publicação e serviços de suporte.

DC Collectibles, o braço de merchandising da empresa, agora estará sob o comando da Warner Bros. Consumer Products’.

Esse movimento ocorre no mesmo dia em que a Warner Bros. Consumer Products também passou por uma reorganização, na qual 10% dos funcionários foram demitidos, disseram fontes. Pam Lifford dirigirá as duas divisões através do seu papel de presidente da Warner Bros. Global Brands and Experiences.