Duna (2021), deixou o fracasso de sua adaptação anterior (que foi lançada em 1984 e dirigida por David Lynch) de lado, e com a direção atual de Denis Villeneuve tem tudo para apagar a má fama da obra nas telas do cinema.

A trama apresenta o jovem Paul Atreides, que junto com sua família, às ordens do imperador, muda para o planeta mais perigoso do universo, Arrakis, mais conhecido como Duna. 

Baseada na obra de Frank Herbert, lançada em 1965, o diretor Villeneuve, junto com os roteiristas Eric Roth e Jon Spaihts fizeram um trabalho magnífico nas 2h e 35min de duração. Trabalhando com uma obra tão renomada como Duna, o desafio era grande (dado do fracasso anterior da versão de 1984), mas com diálogos fiéis ao livro, é um prato cheio para a comunidade de fãs da história.

A obra, por ter vocabulário próprio (palavras como gom jabbarKwisatz Haderach), pode de início parecer um pouco estranha para o ‘grande público’, mas Villeneuve apresenta com maestria o vasto universo da obra, causando assim, um maior aceite tanto dos fãs quanto para quem está conhecendo Duna. 

Trabalhando com política, ficção e ecologia, o longa transmite em todos os momentos a descoberta de um novo ambiente por Paul e também a vilania dos Harkonnen. 

Na parte técnica da obra, a fotografia do filme fica por conta de Greig Fraser (que trabalhou em obras como Lion: Uma Jornada Para Casa, de 2016 e Batman de 2022) e o cinegrafista faz um trabalho espetacular. Conforme a trama do filme se desenrola, a utilização da iluminação é um fator excepcional para imersão dos expectadores na história, e detalhes são o que não faltam. Já na trilha sonora, somos surpreendidos por momentos de tensão acentuados por silêncios ensurdecedores criados pelas músicas de Hans Zimmer, que utilizou sabiamente de efeitos sonoros para junto com a fotografia, roteiro e caracterização tornar Duna o sucesso que é.

Entre a crítica, já é esperado a presença de Duna na cerimônia do Oscar de 2022, devido o trabalho exercido pela equipe técnica e sua avaliação no Rotten Tomatoes, que mesmo antes de estrear para o público geral já está avaliado em 89%.

Para os fãs do livro, a clássica incerteza pode surgir após assistir o longa, visto que as cenas densas de políticas são apresentadas de forma mais leve, mas isso tem explicação, o diretor possuí a missão de apresentar a obra para novos expectadores, e podemos esperar as cenas características na segunda parte do filme (até o momento não confirmada).

Já no elenco, contamos com Timothée Chalamet no papel de Paul, e o ator transmite fielmente características relevantes do personagem, Zendaya interpretando Chani (que nessa primeira parte do filme tem aparições pontuais), Rebecca Ferguson como Jessica e Jason Momoa interpretando Duncan Idaho.

Duna chega aos cinemas no dia 21 de outubro de 2021, distribuído pela Warner Bros. e tendo tudo para ser o maior sucesso do ano.