Falcão e Soldado Invernal é a mais recente série do MCU e da Disney+ onde temos os personagens Buck Barnes, Sam Wilson e John Walker buscando entender o legado deixado pelo Capitão América Steve Rogers. Com isso surgiu os questionamentos perante a ideia do símbolo do herói e sobre quem as pessoas querem como o grande herói da América.

No episódio mais recente vemos um diálogo entre o personagem Sam Wilson e Isaiah Bradley, um dos soldados dos quais passaram por experimentos do governo para replicar o soro. Nessa conversa temos a revelação de que o governo disse que o soro na verdade era uma vacina de Tétano para os soldados, e então eles eram enviados para o campo de batalha onde eram testados. Isaiah foi um dos poucos que conseguiu, contudo eles não o viram como um novo Capitão América, então enviaram forças para matar todos os soldados, contudo Isaiah os salvaria mas teria o custo de ser preso e utilizado como Cobaia.

O diálogo se encerra com o personagem dizendo que foi salvo por uma enfermeira que o declarou morto e também dizendo que o governo nunca aceitará um Capitão América negro, e que nenhum negro que se respeite aceitaria o manto.

Sabemos que no final Sam Wilson irá assumir o risco e aceitará o manto do herói, mas esse diálogo abre portas para um assunto que talvez não seja tão discutido, o legado dos personagens. Quando sai uma notícia anunciado um reboot de uma franquia ou até mesmo um remake onde temos um ator de etnia ou gênero diferente, a resposta do público em sua maioria é negativa, com pessoas apontado críticas construtivas e outras somente exacerbando seus preconceitos.

A história da qual a série se inspira vem direto dos quadrinhos escritos por Nick Spencer onde vemos o Sam Wilson agindo como Capitão América e vendo que o mundo não concorda com ele como herói. E isso se refletiu nos leitores na época, onde a sua maioria afirmaram coisas como “lacração” ou “quem lacra não lucra”. No final o Capitão América voltou a atuar como o herói e também conseguiu ser rejuvenescido para voltar a atuar como herói. E nos quadrinhos existe somente uma verdade, e é a que nenhum personagem está morto ou aposentado de fato. E nesse caso com as vendas baixas, porque não trazer o antigo símbolo de volta?

De fato os quadrinhos passa por um problema que está longe de ser resolvido. Onde temos cada vez mais dificuldade para trazer novos leitores, problemas de distribuição e também a questão do público consumidor afetar diretamente o que deve ser feito com um título. Mas no cinema temos questões diferentes, pois os personagens estão atrelados diretamente aos atores, e eles ficam com um orçamento cada vez mais caro, envelhecem e rejuvenescer eles acaba custando muito mais, fora outras questões.

Estamos vendo pela primeira vez no gênero de heróis nos cinemas e também no cinema como um todo as questões do legado sendo trabalhada agora no MCU. E fora a própria Marvel, teremos a Warner provavelmente investindo em um Superman Negro, fora que temos um Batman negro atuando nos quadrinhos (mas ainda secundário a Bruce Wayne).

Buscando entender quem rejeita essas mudanças, o que pode ocorrer talvez seja a perda de algo que estava conectado com ele desde sua infância, e assim vendo aquele símbolo mudar ele esteja perdendo algo importante pra ele. E internamente isso faça com que ele não aproveite o filme, série ou outra obra relacionada ao personagem. E talvez exista uma negação ao aceitar esse tipo de mudança, ao ver algo diferente, pois independente da história ser ruim ou boa, o personagem anteriormente também teve seus altos e baixos, e a mudança é só uma nova perspectiva.

A questão no final é que essas mudanças vão ocorrer independente de nós fãs, e por mais que tenhamos influência em suas decisões, não somos aqueles que irão decidir o que ser feito e sim aqueles que irão aproveitar a jornada. E as mudanças não significam somente novas perspectivas ou uma igualdade entre nós, mas também novas histórias e visões dos mundos que crescemos acompanhando.

Existem casos como o de Henry Cavill onde ele poderia ter uma nova chance no papel do herói para vermos sua visão daquela história, mas existem outros casos como o Capitão América que esteve a dez anos sendo desenvolvido e agora é hora de ter uma nova etapa na história do personagem em si. E no final o que deve ser lembrado é que esse símbolo não está aqui pra representar o seu gosto pessoal.