Ao longo do ano passado, o cineasta David Ayer fez campanha para que a Warner Bros. lançasse a sua versão do diretor de Esquadrão Suicida (2016), filme da DC difamado pelos críticos, que foi lançado em uma versão que, segundo Ayer, é bem distante da visão que ele tinha para o projeto. “É frustrante porque eu fiz um drama genuíno que foi destruído em pedaços e eles tentaram transformá-lo num Deadpool, o que não deveria ter acontecido“, disse Ayer à revista Entertainament Weekly, em março. “Fiz um filme incrível. É um filme incrível, só que assustou os executivos pra caramba“.

Na semana passada, Ayer voltou ao assunto depois que o crítico do site Screen Daily, Tim Grierson, escreveu no Twitter que, enquanto assistia ao novo Esquadrão Suicida de James Gunn, ele achava que “David Ayer deveria simplesmente abandonar a idéia da versão do diretor“.

Coloquei minha vida em Esquadrão Suicida“, escreveu Ayer em uma longa mensagem, explicando porque não vai desistir da missão. “Minha versão é uma jornada complexa e emotiva com alguns ‘vilões’ que na verdade são figuras maltratadas e rejeitadas (um tema que ressoa na minha alma). A versão do estúdio não é o meu filme”. Ayer concluiu seu comunicado com palavras gentis para Gunn: “Estou tão orgulhoso de James e animado pelo sucesso que está chegando. Apoio a WB e estou empolgado que a franquia está tendo a repercussão que precisa“.

Nada disso veio como uma surpresa para Joel Kinnaman. O ator interpretou o líder do esquadrão, Rick Flagg, no filme dirigido por Ayer e agora reprisa o papel no longa de Gunn, ao lado de outros veteranos da franquia como Margot Robbie, Viola Davis e Jai Courtney.

Tivemos uma experiência incrível ao gravar o primeiro filme“, disse o ator. “Algumas pessoas que conheci no filme ainda são alguns dos meus amigos mais próximos, assim como o esquadrão antigo, ainda mandamos mensagens uns para os outros. Mas a visão do que o filme seria não estava clara para todos, sabe. Não era como se os produtores, o diretor e o estúdio tivessem todos a mesma perspectiva. Houveram visões conflitantes do que o filme seria, e às vezes, com esses projetos de grande orçamento, cada uma dessas pessoas começa a levar o filme para direções diferentes e no final o resultado não chega a lugar algum. Sinto que foi isso que aconteceu com o primeiro Esquadrão Suicida. Não chegou nem aqui e nem ali. Acredito que David realmente estava fazendo algo muito mais sombrio, muito mais emotivo e niilista de alguma forma, pelo menos na maneira como retratou o seu Coringa (vivido por Jared Leto), e eu acho que o estúdio queria um filme mais divertido. Penso que o primeiro trailer de Esquadrão Suicida foi um ‘tiro no pé’ para nós porque foi muito bem sucedido, mas o filme não era daquele jeito. E aí, acho que eles tentaram remodelar o filme para ficar mais parecido com o trailer, então houve uma divisão completa“.

Enquanto o primeiro Esquadrão foi malhado pelos críticos, o segundo Esquadrão recebeu críticas quase universalmente positivas e vangloria-se de uma percentagem de 97% de aprovação no site Rotten Tomatoes. Kinnaman revela que está muito mais feliz com o novo filme comparado à versão anteriormente lançada, graças ao resultado final ser bastante semelhante ao projeto inicial do diretor. “Quando vi o filme completo, eu senti que era o filme que começamos a fazer“, ele diz. “Neste longa, eles confiaram no James, todos tinham confiança na visão dele. Foi uma alegria gravar o filme e o que você vê é basicamente o que está no script, mas aí eu fiquei surpreso pois pareceu que havia mais camadas do que eu esperava. Não vi [no roteiro] as profundezas emocionais que senti que estavam entrelaçadas de forma despretensiosa no filme. Obviamente sou suspeito para falar aqui, mas eu senti que o filme finalizado transcendeu o gênero e o grande espetáculo disso, e o resultado é também um grande trabalho artístico.”

Esquadrão Suicida chega aos cinemas e no HBO Max em 6 de agosto.