A Netflix sem dúvidas está fazendo grandes investimentos na criação de animes originais, e B: The Beginning é uma dessas grandes apostas. Um dos mais recentes animes da Netflix onde podemos ver um potencial para futuras criações que ainda estão por vir.

Na cidade futurista de Cremona, os avanços tecnológicos ditam as regras. É a partir daí que um grupo de cientistas planeja criar novos humanos capazes de instaurar a paz na região. O único problema é que nem todos apoiam essa ideia.

A série aborda um grande mistério que está em volta dos personagens, e no decorrer da série descobrimos peças desse quebra-cabeça, a série apresenta uma montagem de cenas interessantes, que caso você tenha visto Death Note (o anime) e séries como CSI e Sherlock, você verá certas semelhanças. Durante os primeiros episódios vemos um mistério que te envolve e é capaz de fazer você ficar curioso com cada episódio.

Mas o grande deslize da série é como ela revela os mistérios no decorrer dos episódios. Nos primeiros episódios ela cria um envolvimento em torno dos mistérios que é deixado de lado, e mesmo tendo mistérios soltos nos outros episódios, somos apresentados a uma resolução simples, que é dada quase “de graça”.

Os personagens da série possuem uma boa construção, só que mias uma vez, somos apresentados a sua história de forma rápida e confusa, e mesmo cada um possuindo características únicas e um bom trabalho em sua história, são enrolados em meio a trama.

As cenas de luta possuem uma coreografia muito boa, e os traços da própria série são bons. A construção de resoluções de alguns mistérios são muito interessantes e se remetem aos clássicos filmes e séries de mistério. E em volta de tudo isso vemos como será o desenvolvimento de cada um.

Keith sem sombra de dúvidas é o personagem que se remete a Sherlock Holmes e outros que possuem uma inteligência acima dos outros. Ele demonstra isso através de suas análises instantâneas e seus movimentos em todo esse enigma.

Koku é um personagem que apresenta uma personalidade calma, e ele sem dúvida é o personagem que tem a história mais profunda na série. Enquanto Lily pode ser considerada o alívio cômico da série, mas isso não exclui todo seu potencial.

Mesmo sendo uma série qual não demonstra um bom desenrolar na história, o universo no qual é trabalhado é interessante, criando uma mitologia que ao ser bem explorado, pode melhorar. Os personagens são carismáticos e você acaba se apegando.

B: The Beginning está disponível na Netflix.

 

[rwp_box id=”0″]

Confira também nossa última crítica da Netflix, sobre Everything Sucks.