Wolverine é um dos personagens mais queridos do público em geral, independente da mídia em que ele apareça, sua personalidade ambígua e totalmente destoante dos X-men, faz com que ele acabe se destacando dos outros mutantes ou heróis. Seguindo a linha de republicações da Panini de edições antigas e importantes para a mitologia de alguns heróis da editora, desde o mês passado foi lançado a segunda parte da linha de encadernados que aborda as histórias passadas do baixinho canadense na Coleção História Marvel: Wolverine – vol.5.

Sua primeira aparição foi em um arco de três partes da revista americana: The Incredible Hulk nº180, nº181 e nº182, em 1974, criado por Len Wein (O Monstro do Pântano) e Dave Cockrum (Os Defensores) inicialmente como um saco de pancadas do gigante esmeralda. Porém, o feedback dos fãs foi tão positivo que ele apareceu um ano mais tarde na clássica: Giant-Size X-men nº1 lançada em maio de 1975, se consolidando permanentemente como um membro da equipe mutante e do universo marvel.

Esta coleção é um compilado de histórias que conta com diversos roteiristas e desenhistas, contando um pouco mais das aventuras do Caolho por Madripoor, que é um dos lugares mais perigosos do Universo Marvel, quando é convocado por um homem chamado Morrow, a quem ele deve um favor. Logo em seguida, Logan segue para o Japão em busca de um item de valor para ele que está sob a posse de um chefão do crime.

O roteiro deste encadernado é arrastado e pouco empolgante, com algumas histórias interessantes, mas em sua maioria medianas. O interessante nesta edição é o foco no passado do herói que aos poucos começa a ser revelado, mas ainda assim não consegue se conciliar de uma forma orgânica com as histórias atuais, causando uma sensação incomoda na leitura.

Mesmo assim é possível se divertir, com histórias difíceis de se achar atualmente e a sensação deliciosa de nostalgia que leva o leitor até uma outra época de narrativa e desenhos, bem diferente dos modelos atuais.

Enquanto o roteiro é um tanto quanto sofrível, a arte toma o caminho inverso, com os traços do excelentíssimo: John Buscema (Conan, O Bárbaro), que foi o responsável por diversos títulos da editora durante os anos 80 e 90, contribuindo ainda mais para a sensação de viagem no tempo no momento da leitura, principalmente para que lia os queridos “formatinhos”.

Este encadernado de 164 páginas engloba as histórias originalmente publicadas em Wolverine 24-30 e possui um formato relativamente simples se comparado a outras republicações de capa cartão da Panini, que impacta visivelmente no preço, saindo muito mais em conta que outros títulos. O primeiro volume ainda vem com uma linda box para colocar o resto da coleção, o que acaba embelezando muito a estante.

6.0
Score

Roteiro
5
Arte
8
Cores
8
Formato do encadernado
9

Final Verdict

Apesar de ser uma decepção, ainda é leitura nostálgica e gostosa de ser lida, justamente pelo saudosismo aos queridos formatinhos. Espero muito que no próximo volume melhore.